Ipatinga, 8 de Julho de 2020
NOTÍCIAS

Madaleno estima dívida de R$ 10 milhões

Nova diretoria do Sindipa deverá tomar posse na próxima quinta-feira e anuncia contratação de auditoria


O PRESIDENTE ELEITO pela Chapa 2 Intersindical /CUT anuncia uma auditoria para avaliar as condições financeiras do Sindipa

A solenidade de posse da nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa) está agendada para acontecer na próxima quinta-feira (11), na sede da entidade, entre 16h e 17h 30. Hélio Madaleno Pinto - presidente eleito numa chapa composta por 32 membros para um mandato de quatro anos - espera que tudo transcorra de forma “simples e tranquila” e adianta que além da população em geral e dos trabalhadores metalúrgicos, foram convidados para o evento os procuradores do Ministério Público do Trabalho (MPT) e o alto comando do 14º Batalhão PM, “que ajudaram para que o processo eleitoral ocorrido em janeiro se desse de forma transparente e democrática, prevalecendo a vontade da categoria”.

Segundo Madaleno, inicialmente a posse seria na sexta-feira (12), mas foi antecipada em um dia porque, como consta no estatuto do Sindipa, o mandato da atual diretoria encerra às 17h do dia 11. A Chapa 2 Intersindical /CUT, encabeçada por Hélio Madaleno, venceu com 120 votos de frente (2.897 votos) a Chapa 1 de Francisco Cirilo, da Força Sindical, que obteve 2.777 votos.

. Legalidade da posse

O Procurador do MPT, Adolfo Jacob, diz que não há qualquer impedimento à posse dos novos dirigentes na quinta-feira, já que a eleição ocorreu de forma normal e dentro da legalidade, acompanhada de perto durante todo o seu transcorrer pelo Ministério público do Trabalho. “Foi um processo que passou pela fiscalização do MPT em todas as suas fases. A eleição foi completamente lícita e o resultado é válido. Portanto, nada mais normal que a chapa vencedora seja empossada como lhe é de direito”, comenta Adolfo Jacob.

Quanto à ação que corre na 1ª Vara da Justiça do Trabalho de Coronel Fabriciano por iniciativa de seis funcionários da Cooperativa de Consumo dos Funcionários da Usiminas (Consul), Lagoa Silvana e Fundação São Francisco Xavier (FSFX) e que tem sido acompanhada pelos procuradores do MPT, Adolfo Jacob e Túlio Mota Alvarenga, a pedido da chapa que venceu as eleições, Jacob diz que foram negados pela justiça todos os pedidos de liminares de tutela antecipada impetrados até agora. E a audiência de conciliação entre as partes acontece somente em janeiro do ano que vem. A ação impetrada no último dia 12 de março pede que o resultado da eleição seja anulado e que aconteça um novo pleito. Os requerentes alegam que teriam sido cerceados em seu direito de votar. Mas para Adolfo Jacob “eles teriam que votar nos sindicatos de suas classes, ou seja, do comércio, da saúde ou dos representantes dos clubes recreativos e não no Sindicato dos Metalúrgicos. Esta é a posição que o MPT vai continuar defendendo”, esclarece.

. Dívida herdada

Hélio Madaleno diz que vai trabalhar em regime de colegiado, e estima herdar muitas dívidas, algo em torno de R$ 10 milhões. “No dia seguinte à nossa posse vamos nos reunir com os funcionários do sindicato e nos apresentar formalmente, mostrar para eles nossa linha de trabalho. Em seguida vamos fazer uma auditoria nas contas do Sindipa para levantar se a dívida a ser herdada é maior ou menor que R$ 10 milhões. A auditoria vai ainda identificar qualquer outra irregularidade eventualmente cometida na entidade. Só depois iremos definir o que faremos com esse rombo financeiro”, salienta. “Vamos ao mesmo tempo dar prosseguimento à campanha salarial na qual já estamos trabalhando os itens básicos. Realizaremos uma assembleia com os trabalhadores que darão acabamento às reivindicações que vão compor a minuta. Em outubro pretendemos entregar a pauta de negociação salarial para a Usiminas, Usiminas Mecânica e empreiteiras. Mas esperamos marcar as rodadas de negociação para o mais breve possível e resolver tudo ainda em novembro. Isso para a campanha não se prolongar até o fim deste ano”, conclui o novo presidente.

Para ele, alguns itens que não podem faltar nessa campanha são: aumento real do salário mais a inflação do período; plano de férias que hoje, segundo ele, não é 100%; o regime de trabalho em turno; as condições de quem trabalha com amianto; reembolso do Plano de Saúde, além do banco de horas e a equiparação ou isonomia salarial (sendo idêntica a função, todo trabalho deverá ter igual valor, prestado ao mesmo empregador), conforme estabelece Art. 461 da CLT- Consolidação das Leis Trabalhistas.

Fonte: http://www.jornalvaledoaco.com.br

Foto: Lairto Martins


 

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br